Festival Lumiar oferece oficinas gratuitas de cinema


29/10/2014

 Guilherme Fiuza, diretor do filme “O Menino no Espelho”, é um dos ministrantes. No total, são oferecidas 75 vagas.Inscrições até esta quinta-feira.

 

Serão encerradas nesta quinta-feira, dia 30/10, as inscrições para as oficinas oferecidas pelo “Lumiar: 1º Festival Interamericano de Cinema Universitário”. O Festival é uma promoção do Instituto de Comunicação e Artes do Centro Universitário Una.

 

As oficinas “Do Papel à Tela – Oficina de Consultoria Prática de Projetos”; “O processo de produção de um longa-metragem, da concepção ao lançamento” e “Oficina do Som Direto”  irão acontecer nos dias 3, 4 e 5 de novembrodas 13h30 às 16h30, no Campus Liberdade (R. da Bahia, 1764 – Centro).

 

Os interessados em participar deverão encaminhar um minicurrículo de até 700 caracteres, e escrever uma justificativa de interesse de até 500 caracteres para o e-mail lumiar.oficinas@gmail.com. O resultado será divulgado no dia 1º de novembro.  Mais informações pelo telefone (31) 3235-7300.

 

A oficina “O processo de produção de um longa-metragem, da concepção ao lançamento”, será ministrado pelo cineasta mineiroGuilherme Fiúza Zenha. Na ocasião ele irá analisar o case do filme “O Menino no Espelho”: Da sua concepção, passando por captação de recursos, técnicas de pitching, o processo de produção, estratégias de lançamento e mercado. Para está oficina são oferecidas 50 vagas.

 

O músico, diretor, técnico de som e montador, Pedro Aspahan ministrará a “Oficina de Som Direto”. São oferecidas 15 vagas. Aoficina tem como objetivo proporcionar uma introdução à prática do som direto, passando por questões teóricas e práticas que fundamentam a boa captação de áudio digital no audiovisual. “Para tanto, vamos buscar desvendar maneiras de tirar o melhor proveito de cada equipamento de que dispomos, reconhecendo suas características. Buscaremos também apresentar uma breve visão das etapas seguintes à captação, como edição de som, sincronização, tratamento, equalização e mixagem”, explicou Aspahan.

 

A oficina “Do Papel à Tela – Oficina de Consultoria Prática de Projetos” será conduzida por Gabriel Martins.  O objetivo é prestar aos participantes uma consultoria geral sobre seus projetos audiovisuais passando pelo roteiro, pré-produção, filmagem e finalização. Foram abertas 10 vagas por projeto. Interessados devem enviar um e-mail com minicurrículo de até 700 caracteres, e também um esboço de um projeto audiovisual de até 15 páginas (web-série, curta ou longa-metragem). Estão abertas também 15 vagas para ouvintes (sem possibilidade de envio de projetos). Para este caso, o interessado deve enviar um minicurrículo de até 700 caracteres com uma justificativa do interesse de até 500 caracteres

 



Capital mineira recebe o 1º Festival Interamericano de Cinema Universitário


22/10/2014

Evento ocorre entre os 3 e 8 de novembro no Cine Humberto Mauro e no Centro Universitário Una, em Belo Horizonte. Sessões de filmes, oficinas, palestra, debate, mostra competitiva e mostras paralelas fazem parte da programação.  Informações pelo telefone: 3235-7300 ou 3236-2364

 

Lumiar: 1º Festival Interamericano de Cinema Universitário será realizado pelo Instituto de Comunicação e Artes do Centro Universitário Una de Belo Horizonte. Ao longo dos sete dias de evento, haverá sessões no Cine Humberto Mauro, debate, palestra e oficinas. No cinema, acontecerá a Mostra Competitiva Interamericana, que abrangerá filmes realizados em cursos de Cinema e Audiovisual de diversas universidades das Américas do Sul, Central e do Norte além de sessões especiais. O festival tem por objetivo, além de oferecer um panorama da produção universitária em diferentes países das Américas, se consolidar com um espaço reflexão e troca de ideias sobre o ensinar, o pensar e o fazer cinematográficos.

 

O Festival está inserido em um contexto discente/docente, de uma disciplina de caráter interdisciplinar, na qual alunos de duas turmas de 5º período do curso de Cinema e Audiovisual da Una estão envolvidos no processo de produção e concepção do festival. Os alunos ficarão responsáveis pelo registro filmográfico e fotográfico do evento, pela produção de vinhetas e também produção e comissão de seleção.

 

Mostra Competitiva Interamericana abrange 13 universidades brasileiras e do exterior. São elas: Una (Cinema e Audiovisual), Belas Artes/UFMG (Cinema de Animação e Artes Digitais), Universidade Federal de Juiz de Fora (Cinema e Audiovisual), PUC-MG (Cinema e Audiovisual), USP (Audiovisual), Universidade Federal Fluminense (Cinema e Audiovisual), Universidade Federal de Pelotas (Cinema e Audiovisual), Universidade Federal do Espírito Santo (Audiovisual), Universidade Federal do Recôncavo Baiano (Cinema e Audiovisual), Universidad del Cine – Buenos Aires (Cinematografia), Escuela Internacional de Cine y Televisión – Cuba (Cinema e Televisão), Escuela Nacional de Cine – Colômbia (Cinema) e Escuela Nacional de Cine del Uruguay (Realização Cinematográfica).

 

O processo de comissão de seleção da Mostra Competitiva Interamericana foi dividido da seguinte maneira: 4 alunos do 5º período do curso de Cinema e Audiovisual da Una junto a 4 professores ficaram responsáveis pela escolha dos filmes da Una. A seleção dos filmes de fora foi feita pela professora Ursula Rösele. Foram avaliados filmes produzidos entre 2013 e 2014.

 

Na abertura do evento, no dia 3 de novembro, será exibido o longa Castanha, de Davi Pretto, ex-aluno da PUC-RS, recentemente exibido no Festival de Berlim. Sua estreia mundial aconteceu na Mostra Fórum durante 64ª Berlinale,Festival Internacional de Cinema de Berlim.

 

O festival conta com três sessões especiais denominadas Despertar dos Mestres, que compreende uma seleção feita pelo coordenador do curso de Cinema e Audiovisual da Una Rafael Ciccarini. O intuito dessas sessões é possibilitar o acesso aos primeiros trabalhos de grandes diretores que também passaram por uma universidade de cinema, como : Martin Scorsese, Brian De Palma, David Lynch, John Carpenter, George Lucas e Robert Zemeckis.

 

Três professores do curso de Cinema e Audiovisual da Una também selecionaram filmes de alunos que foram considerados representativos da instituição para comporem o Panorama Histórico Una – 9 anos.

 

As universidades de fora também indicaram filmes representativos de seus cursos para a Seleção Histórica Interamericana.

 

História Permanente do Cinema é uma sessão semanal que ocorre no Cine Humberto Mauro sempre com a presença de um profissional da crítica, docência ou realização cinematográfica para comentar a sessão após a exibição do filme. Na semana do festival Lumiar será exibido o longa Quem bate à minha porta (1967), do diretor Martin Scorsese. A sessão será comentada por um aluno da Una ligado à crítica.

 

A sessão “Depois de Formados” contempla ex-alunos do curso de Cinema e Audiovisual da Una com obras realizadas após sua passagem pela instituição. As obras ganharam prêmios no Brasil e fora do Brasil e contam com a presença de alunos em diversas funções, dentre elas direção, assistência de direção e produção.

 

Ao todo serão exibidos 24 filmes na Mostra Competitiva, 14 filmes na sessão Despertar dos Mestres, 12 filmes na Seleção Histórica Interamericana, 9 filmes no Panorama Histórico Una – 9 anos, 5 filmes na sessão Depois de Formados, um longa-metragem em parceria com o História Permanente do Cinema, além da abertura e do encerramento, totalizando 67 filmes.

 

Nos dias 3, 4 e 5 de novembro três profissionais da área irão ministrar oficinas no Instituto de Comunicação e Artes da Una no Campus Liberdade (R. da Bahia, 1764 – Centro, Belo Horizonte).

 

Lumiar também conta com uma palestra ministrada pelo assessor internacional da Ancine, Eduardo Valente, que traçará um panorama sobre a produção universitária no Brasil. Este debate ocorrerá no dia 07/11, às 19h, no Cine Humberto Mauro.

 

No dia 5 de novembro haverá um debate no Instituto de Comunicação e Artes (ICA) (Teatro do ICBEU) com a presença dos coordenadores dos cursos de cinema da Una, UFMG, PUC-MG e UFJF, que irão discutir os desafios do ensino de cinema.

 

Informações pelo telefone: 3235-7300  | 3236-2364

 



Artigo do presidente da SBOC sobre malefícios do tabaco


22/08/2014

Este artigo foi assinado pelo Dr. Evanius Garcia Wiermann, presidente nacional da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC). O texto foi publicado originalmente no jornal Estado de Minas no dia 22/08/2014. 

 

O tabagismo, hoje, é amplamente reconhecido como doença crônica gerada pela dependência da nicotina. O usuário de produtos de tabaco é exposto continuamente a mais de quatro mil substâncias tóxicas, muitas delas cancerígenas. Esta exposição faz do tabagismo o mais importante fator de risco isolado de doenças graves e fatais. Neste 29 de agosto, data em que se comemora o Dia Nacional de Combate ao Fumo, é importante ressaltar os perigos do tabaco para a saúde do corpo humano e também alguns avanços conquistados na última década.

Estudo realizado pelo Ministério da Saúde, em maio de 2013, apontou redução no número de fumantes nos últimos oito anos. Os dados da pesquisa mostram que a parcela de brasileiros com mais de 18 anos que fumam caiu de 15,7% em 2006 para 11,3%. A frequência maior de fumantes permanece entre os homens – 14,4% contra 8,6% entre as mulheres. Outro dado considerável é a queda na frequência das pessoas que fumam 20 ou mais cigarros, passando de 4,6% em 2006 para 3,4% no ano passado.

A pesquisa também revela redução na frequência de fumantes passivos em domicílio. O índice passou de 12,7% em 2009 para 10,2% em 2013. Já no local de trabalho, a proporção de fumantes passivos variou de 12,1% a 9,8% no mesmo período. Apesar dos resultados serem positivos, ainda há muito a ser feito.

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a principal causa de morte evitável no mundo. Os dados são alarmantes. O cigarro provoca 10 mil mortes por dia ano no mundo. Caso as atuais tendências de consumo sejam mantidas, esses números chegarão em 2030 para 10 milhões de mortes anuais, sendo metade delas em indivíduos em idade produtiva (entre 35 a 69 anos). O consumo de tabaco é responsável por cerca de 50 doenças, destacando a Doença Broncopulmonar Obstrutiva Crônica (DBPOC).  Além disso, está associado a 30% das mortes por câncer, sendo que mais de 90% delas são por câncer de pulmão, 25% dos casos de infarto agudo do miocárdio e quase metade dos derrames cerebrais.

De acordo com pesquisa publicada neste ano pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), sete brasileiros morrem diariamente por causa de doenças ocasionadas pela exposição à fumaça do cigarro. As mulheres são as mais atingidas, 60% delas morrem em decorrência do tabagismo, uma vez que sofrem mais para largar o cigarro, elas apresentam o dobro de ansiedade e depressão comparadas aos homens. A nicotina é considerada uma das drogas mais poderosas por demorar apenas sete segundos para atuar no sistema nervoso central, causando a dependência.   Este vício pode causar uma série de transtornos mentais e comportamentais, gerando sofrimento físico, psíquico para o fumante e para as pessoas que com ele convivem.

Estudos do Ministério da Saúde demonstram que 80% dos tabagistas querem parar de fumar, mas infelizmente somente 3% conseguem.  O controle do tabagismo no Brasil é uma situação de constantes desafios. Campanhas de conscientização devem ter mais força em nosso país. É preciso que a sociedade, governos e entidades se voltem para o problema e realizem ainda mais serviços de assistência a este público. Ações educativas também devem partir do círculo familiar e escolar para que esse hábito nada saudável seja erradicado, promovendo saúde e bem-estar social.



Página 18 de 19« Primeira...10...1516171819